Publicado em 21 de Novembro de 2019

Gestão financeira: os 5 erros mais comuns



Administrar uma empresa é algo bastante complexo e qualquer descuido pode trazer sérios prejuízos à saúde financeira corporativa.

Planejar e organizar as movimentações internas diárias é fundamental para qualquer Organização e, por isso, deve estar no topo das prioridades. No entanto, com a correria do dia a dia, muitos empresários ainda cometem erros na gestão financeira que poderiam ser evitados.

Confira a seguir quais são os 5 erros mais comuns:

1. Misturar finanças pessoais com finanças empresariais
É um erro bastante comum em empresas de pequeno porte, onde o proprietário mistura o dinheiro pessoal com o da empresa, o que torna as finanças muito confusas, sendo difícil avaliar qual o nível de capital e a rentabilidade da empresa. Isso acaba prejudicando a saúde financeira da empresa e prol de gastos pessoais.


2. Não ter conhecimento sobre o rendimento da empresa
Ter conhecimento dos rendimentos mensais da empresa é essencial para uma boa gestão financeira. Sabendo quanto você lucrou nos últimos meses, de onde veio esse dinheiro, quanto e onde foi gasto, permite que você possa analisar com clareza os motivos pelos quais alguns meses são melhores que outros e cortar gastos desnecessários. Essas informações podem ser obtidas a partir de um Demonstrativo do Resultado do Exercício (DRE), uma ferramenta contábil muito simples de ser utilizada.


3. Falta de Controle de estoque
Realizar a gestão de estoque é imprescindível para a saúde financeira da empresa. Isso porque o estoque é dinheiro parado, e dinheiro parado é fatal para as finanças. Portanto, calcular o estoque ideal é necessário para conseguir reduzir os custos de armazenagem, otimizar compras conseguindo bons descontos, e claro, não perder vendas por falta de estoque.

Além disso, a falta de controle de estoque deixa a empresa suscetível a ter altos gastos emergenciais ou produtos estocadas por tanto tempo que se tornam obsoletos.


4. Não projetar o fluxo de caixa
As próprias empresas de médio e grande porte, embora possuam a DRE projetada, em sua grande maioria não possuem um bom fluxo de caixa projetado. Com isso, a empresa não consegue saber ao certo qual o saldo que terá disponível para girar ao longo daquele período.

Por isso, para realizar uma boa gestão financeira, além de se projetar a DRE, também é muito importante projetar o fluxo de caixa, pois só assim é possível fazer um planejamento a longo prazo e também comparar o projetado versus o realizado.

Além de fornecer informações sobre as entradas e saídas de dinheiro da empresa, um fluxo de caixa bem detalhado pode indicar importantes dados estratégicos. Portanto, ele é essencial para o acompanhamento eficiente da rotina financeira da empresa, servindo como subsídio para o processo de tomada de decisão e o planejamento dos investimentos.


5. Não saber calcular o preço de venda
Comparar o seu preço com o praticado pelo concorrente é uma análise importante sim, porém, seu preço não pode ser estipulado somente com base nessa variável.  É necessário calcular o seu preço de venda ideal com base nos seus custos de produção do produto, custos fixos e margem de lucro desejada, para que você possa tirar o maior proveito possível da comercialização de seus produtos e saber qual o desconto máximo que você pode oferecer ao cliente, sem comprometer seu caixa.

 
Agora que você já conhece os erros mais comuns na gestão financeira, pense em como você pode mitigá-los na sua empresa para que não comprometam seus resultados. A equipe da KCG está pronta para ajudar você a melhorar a sua gestão financeira empresarial, de acordo com as melhores práticas e ferramentas do mercado.

Fale conosco!



Comentários